A terra da imaginação

Consegui pousar com segurança no chão e dei já de cara com a Gigante Árvore da Imaginação, e ao lado avistei a minha velha casa,  ouvia um som vindo de dentro dela, pensei que fosse um animal ,mas quando eu abri vi o Peter Pan!

 Ele estava todo desarrumado e olhava para mim como se não me reconhecesse, levou um dia para ele se lembrar e nesses dias que se passavam ele sempre saía com a Sininho e chegava bravo e ficava irritado com tudo.

Ele tinha ficado estranho mesmo. Depois de tantos anos fazendo a mesma rotina: acordar de manhã,  tomar café... Como se fosse uma pessoa normal.

Três dias após Peter ter me reconhecido, fomos visitar o vilarejo que ficava ali perto, quando chegamos na vila, percebemos que havia muito menos pessoas que antes. Perguntei a um dos moradores o que estava acontecendo e ele me disse que de noite elas agiam de forma estranha que era se levantar  e começar a andar a uma gruta escondida onde no mapa ela não aparecia.

Avançar

Pensei que nunca precisaria voltar a Terra da Imaginação, mas recebi recentemente uma carta, estranhei pois quem havia mandado era Sininho com assunto muito estranho.

Numa parte da carta dizia: “Preciso que volte a Terra da Imaginação! Peter está muito estranho ultimamente”, no momento, fiquei assustada, pois Peter sempre foi bom e nunca fez mal para ninguém.

Logo depois, arrumei minhas coisas e peguei uma velha roupa e me vesti, pois assim que eu chegasse lá,voltaria a ser criança. Então me  lembrei que precisaria do pozinho que só as fadas têm.

Foi ,então, que me deparei, junto com a carta tinha um saquinho cheio do pozinho mágico, Sininho pensou em tudo!

Mas só tinha um pequeno problema, eu não me lembrava como se voava direto e se eu não me lembrasse como se voava completamente eu acabaria caindo no  meio do caminho, a Terra da Imaginação era muito longe, não sabia se todo o pó mágico  iria dar até lá.

Decidi me arriscar e joguei o pozinho em mim mesma e comecei a voar, era uma sensação boa com o vento batendo nos cabelos e uma brisa no rosto, mas esqueci a toca em casa porque estava muito frio e escurecendo e pelo visto seria uma  viagem muito longa.

Foram 6 horas de viagem, sem parar, percebi que o pozinho estava acabando, foi assim que avistei a Terra da Imaginação, de repente comecei a cair, o pozinho havia acabado, não estava caindo rápido, pois o pó que restava em meu corpo fazia eu planar.